29 outubro 2013

Como questionar provas de concursos?

É possível o concurseiro questionar pontos do edital, questões, gabaritos e resultados de todas as provas previstas nas seleções por meio de recursos administrativos. As bancas organizadoras devem disponibilizar as regras dos recursos no edital, dar tempo para os candidatos formularem seus questionamentos, analisar todas as argumentações e justificar as respostas dadas.

Os recursos mais comuns são os enunciados de questões e gabaritos das provas objetivas e correções das provas discursivas. 

Os recursos são aceitos após a divulgação do gabarito ou resultado preliminar de cada prova. O prazo dado pelas bancas costuma ser de dois dias úteis, contados a partir do dia seguinte à divulgação do gabarito ou resultado provisório. Os resultados definitivos não aceitam mais recursos, pois eles são divulgados após serem analisados os questionamentos dos candidatos.

As bancas organizadoras pedem em seus editais que os recursos sejam devidamente fundamentados, claros, consistentes e objetivos. O candidato não pode se identificar, não pode fazer recursos inconsistentes, intempestivos (fora do prazo estabelecido), incoerentes nem com teor que desrespeite a banca.

Somente será aceito um recurso por questão, para cada candidato. Alguns editais trazem modelo a ser preenchido (veja abaixo). Outros oferecem links no site da instituição organizadora, onde será formulado o pedido. O candidato entra no site, digita seus dados pessoais e o número da questão à qual ele fará objeção. Ali existe uma caixa de texto, onde ele escreve sua argumentação. Concursos de menor porte, como os municipais, podem exigir a entrega do recurso pessoalmente ou via Correios.

Os modelos de recursos de várias disciplinas de professores de cursos preparatórios - clique nos links em vermelho.

A G1 consultou algumas organizadoras, a Esaf, o Cespe/UnB e a Cesgranrio, três das maiores do país responsáveis pela maioria dos concursos federais, informam que não há limitação de linhas nem de número de recursos, e que todos são analisados. Veja na tabela abaixo a posição de cada entidade em relação aos questionamentos feitos pela reportagem.
Perguntas
Cespe/UnB
Esaf
Cesgranrio
São aceitos recursos de grupos de candidatos ou apenas individuais?
Devem ser encaminhados de forma individual.
Os recursos são individuais, relativamente ao gabarito ou conteúdo de cada questão.
Os recursos são necessariamente individuais.
O candidato pode se identificar?
Não, a ideia é não induzir a banca a nada.
Somente nos recursos referentes à prova discursiva. Os recursos de prova objetiva não são identificados, considerando que o parecer é dado por questão recorrida.
Não pode se identificar, e isso é prévia e expressamente avisado ao reclamante.
Existe limite de linhas?
Não, o candidato pode
escrever o quanto quiser. A ideia é não tolher o reclamante em sua convicção.
Não, o espaço é grande para a argumentação do candidato.
No máximo 5 mil caracteres, conforme disposto na própria página de recursos.
Existe limite de recursos por candidato?
Por não haver limite no questionamento e argumentação, é esperado que o candidato faça um recurso por questão.
O candidato poderá fazer um recurso para cada questão de prova (objetiva ou discursiva).
Não existe limite. Mas é importante ressaltar que o reclamante deverá produzir um recurso para cada questão. Não cabe, por exemplo, no espaço gerado para interpor-se à questão 2, reclamar da questão 3.
A organizadora analisa todos os recursos recebidos?
Sim.
Todos os recursos enviados tempestivamente (a tempo) são encaminhados à banca examinadora para análise e o resultado é divulgado por meio de edital.
Sim. Todos os recursos são analisados pela banca elaboradora.
Só são justificados aos candidatos os recursos deferidos ou os indeferidos também?
Via de regra o edital esclarece que só há respostas para recursos que provocaram alterações e anulações, no caso da prova objetiva. Na prova discursiva,  todos os recursos são justificados.
O conteúdo dos pareceres referentes ao indeferimento ou não dos recursos apresentados é disponibilizado no site da Esaf para consulta pelos candidatos.
Em geral só são justificados aos candidatos os deferidos, mas depende do concurso.
O candidato só fica sabendo se seu recurso foi aceito no resultado final das provas?
Sim, ele fica sabendo se o recurso foi acatado ou não. Tudo é analisado.
 
Sim, o candidato toma conhecimento da aceitação ou não do seu recurso na publicação do resultado final da respectiva prova (objetiva, discursiva, oral ou de títulos).
Se o concurso tem provas objetivas e  discursivas, é frequente examinar primeiro os recursos das objetivas, cujos resultados são divulgados durante o processo. Quando o concurso tem apenas provas objetivas, a divulgação pode ser no final de tudo.
Justificativas são divulgadas em data após a divulgação do resultado final de cada prova?
Sim, normalmente quando sai o resultado final das provas objetivas e das discursivas.
Sim, a partir do quinto dia subsequente à respectiva divulgação no Diário Oficial.
As justificativas são divulgadas até a publicação do resultado final do concurso. O edital é a lei que rege o concurso e é escrito de forma a tornar o processo absolutamente transparente.
A organizadora cobra por recursos?
Não.
Não, o candidato paga somente a taxa de inscrição, nada mais.
Não cobra por recursos em concursos públicos.
Como o candidato tem acesso à correção de sua prova discursiva?
O candidato tem acesso via internet à imagem escaneada do que ele escreveu e ao espelho de avaliação com a nota que valia e quanto ele tirou em cada requisito, além do sistema de recurso que ele pode usar para recorrer.
Durante o período recursal, o candidato poderá ter vista de sua prova discursiva, por cópia, sendo-lhe facultado nessa oportunidade o recebimento da respectiva cópia.
Depende do concurso. O candidato pode acessar, além da prova, um padrão de resposta no site. O padrão de resposta indica o que o candidato deveria responder para receber a pontuação máxima.
Quem analisa os recursos? Os mesmos elaboradores das questões?
Os elaboradores das questões emitem pareceres sobre os recursos interpostos, mas a palavra final é da equipe de consolidação, ligada à coordenadoria acadêmica, que verifica o parecer dado para cada recurso, se está pertinente, e faz a consolidação dos recursos. A opinião dos elaboradores é importante, mas eles não têm a palavra final. Em alguns concursos são colhidos ainda pareceres de especialistas independentes.
Os recursos são analisados pela mesma banca responsável pela elaboração das questões.
A banca elaboradora das questões fundamenta as respostas aos recursos.


Fonte: http://g1.globo.com/concursos-e-emprego